Oficinas de Arteterapia

As oficinas de arteterapia constitui um instrumento facilitador no processo terapêutico conjugado a um trabalho verbal cujos resultados possuem um alcance ilimitado

1 - Objetivo:
Promover a prevenção e a saúde psíquica e física.
Facilitar o contato e o desenvolvimento de potenciais da personalidade, a inteligência emocional, a criatividade, a motivação, a auto-estima, a capacidade relacional tendo como meta à qualidade de vida na vida pessoal e profissional.

2 - Público Alvo:
Não tem contra-indicação. Pode ser praticada por pessoas de todas as idades ou necessidades. As técnicas e atividades são selecionadas e adequadas ao perfil do grupo e objetivos do trabalho.

3 - Definição Arteterapia:
A Arteterapia é um processo desenvolvido através da expressão artística (materiais gráficos, plásticos e cênicos) representando um instrumento facilitador do trabalho terapêutico e social, tendo em vista alcançar a maturidade psíquica (individuação), a integridade da personalidade através do contato com a experiência emocional, como se a arte tivesse, por ela mesma, propriedades curativas.

4 - Definição das Oficinas de Arteterapia:
Atividades em grupo ou individual conjugadas a um trabalho verbal, tendo como finalidade criar um espaço para a expressão criativa, a comunicação, o contato com potenciais da personalidade em seus aspectos, cognitivo, emocional e sensório através dos órgãos do sentido (visão, audição, tato, olfato, paladar), favorecendo a integração de conteúdos emocionais, despotencializando assim a atuação autônoma/negativa desses conteúdos na personalidade trazendo maior harmonia, saúde física e emocional para a realização de metas construtivas.

5 - Campo de atuação das oficinas de Arteterapia:
Na saúde:
1) para pacientes em geral, em encontros individuais e/ou grupos semi-abertos.
2) como triagem, avaliação e encaminhamentos de pacientes.
3) familiares e amigos dos participantes.
4) profissionais que atuam nos atendimentos com objetivo do suporte no trabalho inter e multidisciplinar.
5) grupo misto.
6) workshops vivenciais abertos ao público ou funcionários de instituições, com intuito terapêutico e preventivo.

Na educação:
1) didáticas, como complemento cognitivo em palestras e programas empresariais e educacionais.
2) orientação vocacional e capacitação profissional para adultos ou adolescentes através da abordagem clínica vivencial.

Em RH:
1) para dinamizar equipes e potenciais da personalidade, a capacidade relacional e a realização de metas.
2) realizar avaliações, encaminhamentos, desenvolvimento de projetos, re-direcionamento profissional (proporcionar motivação para a empregabilidade).

6 - Metodologia:
Música, relaxamento, imaginação ativa, técnicas com a utilização de materiais gráficos, plásticos e cênicos, trabalhos corporais e verbais.

6a) Utilização de Materiais:
. Gráficos (desenho, gravura, pintura)
. Plásticos (escultura e modelagem com: barro, sucata, papiêr marche, etc.)
. Cênicos (expressão corporal, psicodrama, teatro, música, poesia)

6b) Classificação dos materiais:
- duros (lápis em geral, canetas esferográficas, lápis cera)
- de transição (giz cera seco, lápis aquarela)
- fluídos (tintas em geral, cola colorida)
- de regeneração (escultura e modelagem)
- de vínculos (gravura, colagens, expressão corporal, contos)

6c)Segundo a tipologia junguiana e as funções reguladoras da consciência, os materiais como elementos alquímicos são classificados como:
- intuição (fogo): lápis cera quente, contos, argila, caixa de areia
- pensamento (ar): lápis e lápis cera em geral, corte-colagem, leitura-escrita
- sentimento (água): tinta, poesia, música, cores
-sensação (terra): argila, colagem, texturas, sucata, tecidos, grãos, comida, trabalhos corporais.

6d) Segundo Humberto França, as práticas artísticas e suas influências:
- a pintura é libertadora
- o desenho é ordenador
- a escultura é estruturadora
- a gravura é multiplicadora

Obs: A técnicas corporais, o teatro e a argila são indicados para o trabalho com pacientes psiquiátricos por estimular o contato com o corpo e a função sensação através dos órgãos dos sentidos, facilitando o fortalecimento da identidade, a integração de conteúdos inconscientes e a delimitação mundo interno e externo. Contudo essas técnicas são favoráveis para todos; o teatro estimula a livre-expressão e a capacidade relacional, a argila é o material mais completo por conter os 4 elementos: terra, água, ar, fogo; ao ser manuseada, esquenta, dando forma as sensações e emoções.

6e) Exemplos de alguns temas que podem ser desenvolvidos nas oficinas:
- Os órgãos do sentido e a estimulação senso-perceptiva
- Vínculos e identificações através do corte e colagem e trab.corporal
- Construção e re-construção através da modelagem
- Trabalhando o sentimento e o feminino na pintura e poesia
- Cuidando do corpo através dos sentidos, alimentos e expressão corporal.
- Imagem do corpo e identidade. Trabalhando com máscaras
- A respiração, o sentimento e a auto-estima. Trabalhando com as mãos e o corpo.
- A alquimia dos sons e das cores.
- Expressão, comunicação e criatividade através do teatro.
- O dar e o receber. Trabalhando vínculos.
- O velho sábio e a sabedoria interior.
- O grande herói, coragem e força no caminho do Ser e na construção de metas.
- Trabalhando os sonhos oníricos
- Os quatro elementos da natureza. A lapidação da alma
- O casamento do sol e da lua - Trabalhando o masculino e o feminino na personalidade.
- O mito de "Eros e Psiqué" - O casamento da alma e do amor
- As Deusas interiores. Trabalhando e tecendo aspectos do feminino.
- A Criança interior. Trabalhando os aspectos lúdicos da personalidade
- Trabalhando a auto-estima através do conto "bruxas e como desfaze-las" (medo,raiva,crítica,inveja)
- Alquimia da Terra. Nascer, florescer e frutificar. Realizar sonhos
- Trabalho e Prazer. Conhecendo potenciais e habilidades na construção de objetivos.

Obs: outros temas/atividades podem ser inseridos como: dinâmica de grupo, vivências situacionais, debates temáticos...